17 de abril de 2019

Mercado Imobiliário tem perspectiva de melhora para este ano

Sinal verde foi dado pela CEF, durante reunião-almoço realizada pela Ademi-AL, nesta terça-feira (16)

“A gente começa a sentir o mercado se recuperando e percebe que o momento é de retomada”. Foi assim que o novo superintendente da Caixa Econômica Federal em Alagoas, Rodolfo Santos, definiu as perspectivas para este ano. A afirmação foi dita durante uma reunião-almoço, promovida na tarde desta terça-feira (16) pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-AL), na sede da Instituição. A reunião teve por objetivo apresentar o setor e suas demandas ao novo superintendente, reafirmando a parceria entre ambos.

Recepcionando os presentes, o presidente da Ademi-AL, Jubson Uchôa, agradeceu a atenção de todos e falou da parceria histórica entre a instituição financeira e o setor imobiliário. “Fico muito feliz por ver a Casa cheia para reafirmarmos esta parceria que já existe há tanto tempo. A Caixa e o setor tem andado de mãos dadas aqui em Alagoas desde a criação da Ademi-AL e nós esperamos que sigamos juntos e firmes nesta caminhada”, disse.

Com a palavra, o superintende Rodolfo Santos agradeceu o convite e falou sobre as expectativas para o setor. “Estou me sentindo em casa e fico muito grato pela acolhida. Nós temos aqui um estado pequeno, com renda baixa e que, ainda assim, consegue manter o mercado pungente. Isso é uma prova do quanto esta parceria tem funcionado e eu estou aqui para fazer ela crescer”, afirmou Santos, falando da necessidade do engajamento de todos. “O mercado aqui no estado já começa a reduzir os estoques e isso é um dos indícios de que haverá aquecimento. Agora precisamos explorar nossas linhas de crédito: a principal delas, o FGTS e o SBPE, que precisa ser acolhido pelos empresários e ser enxergado como uma boa saída diante das mudanças que o FGTS tem sofrido”, ressaltou.

Partilhando da mesma opinião do superintendente, o gerente regional de Construção Civil da Caixa, Kadu Porto, ressaltou que o mercado está crescendo, mas que é preciso investir em qualidade dos produtos. “Há um tempo, no boom da construção civil e diante do déficit habitacional, o mercado acolheu todo tipo de produto. Hoje percebemos que está diferente. Mesmo ainda com o déficit, o mercado está mais exigente e apenas os bons produtos terão aceitação”, esclareceu.

A observação realizada pelo gerente foi bastante pertinente, visto que a Ademi e seus associados se preparam para realizar mais uma edição do Festival Ademi da Casa Própria, no próximo mês. Na ocasião, espera-se que o setor coloque à venda mais de duas mil unidades, repetindo parcerias importantes entre financiadoras, construtoras e imobiliárias.

DEMANDAS

A reunião foi marcada ainda pelo alinhamento de interesses entre as instituições. Jubson Uchôa entregou ao superintende uma lista com as demandas da categoria. “Esta lista foi realizada em parceria com toda a diretoria e esmiúça as urgências do setor imobiliário. Alguns dos problemas aqui listados são antigos e insistentes, porém de fácil resolução, outros, no entanto, sabemos que dependem da esfera nacional”.

Em resposta, Rodolfo Santos deixou claro que o principal objetivo da reunião era exatamente este: conhecer as especificidades locais da categoria, para que os ajustes possam ser feitos. “Foi muito pertinente esta iniciativa de listar as pendências de vocês. Algumas nós já temos a solução, de experiências em outras regionais. Outras nós iremos levar à matriz como sugestões e estaremos acompanhando de perto, para que se resolva”, concluiu.

17 de abril de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *